Arquivo da tag: estrelas

As estrelas solares de van Gogh

Van Gogh pintou o Sol e as estrelas. Mas suas estrelas eram solares.

As estrelas eram uma das grandes motivações das pinturas de van Gogh, como vemos na obra “A noite estrelada” , de 1889. Ele disse certa vez: “Quero expressar a esperança por meio de alguma estrela“.

estrelas_vangogh2

“A noite estrelada”. 1889.

Sem dúvida esta é a mais famosa pintura de Vincent van Gogh, também considerada por muitos especialistas como um dos mais importantes trabalhos de arte produzidos no século XIX. Foi feita em junho de 1889, quando van Gogh estava internado em um hospício de Saint-Rémy.  Durante essa fase de sua vida van Gogh sofria contínuos ataques e alucinações, tendo sido “A noite estrelada” provavelmente o resultado de uma intensa confusão mental.. Nesta sua obra, o céu é pintado com pinceladas fortes onde predominam linhas curvas. As estrelas são manchas amarelas e brancas, parecendo vários sóis em um céu tumultuado.

estrelas_vangogh3

“Café Terrace à noite”. 1888.

“O Café Terraço à Noite“, cujo nome completo é “O Café Terraço na Place du Forum, Arles, à Noite“, é uma das mais famosas obras do pintor holandês. Pintado em setembro de 1888, este quadro de van Gogh é um dos mais memoráveis do artista. Sobre esta obra, ele mesmo fez questão de declarar: “Uma cena noturna sem qualquer cor preta nele, feita apenas com bonito azul e violeta e verde…”. As estrelas são como buquês de flores que se espalham sobre um céu noturno de cor azul profundo. O Café Terrace ainda existe em Arles, na França, agora com o nome de Café Van Gogh.

Noite estrelada sobre o Ródano“  é uma pintura realizada em 1888,  quando van Gogh vivia na cidade francesa de Arles, para onde mudou-se em busca de luz e cor, nove meses antes de se internar. Van Gogh dizia: “Estou terrivelmente fascinado pelo problema de pintar cenas ou efeitos noturnos no local, ou melhor, à noite.”

estrelas_vangogh1

“Noite estrelada sobre o Ródano”. 1888.

No azul profundo as estrelas são cintilantemente esverdeadas, amarelas, brancas, cor-de-rosa, de um brilhante mais vítreo do que em casa – mesmo em Paris: chame-se-lhes opalas, esmeraldas, lápis lazuli, rubis, safiras. Certas estrelas são amarelo-limão, outras têm um rubor rosa, ou um verde ou azul ou um brilho que não se esquece. E, sem querer alargar-me neste assunto, torna-se suficientemente claro que colocar pequenos pontos brancos numa superfície azul-preta não basta.“(Carta de Van Gogh ao irmão Theo em 19 de junho de 1888).

estrelas_vangogh4

“Estrada com cipreste e estrela”. 1890.

A magnífica pintura “Estrada com cipreste e estrela” foi feita em maio de 1890, quando van Gogh continuava internado no  sanatório em Saint-Rémy. Para representar a estrela, ele pintou pequenos traços formando círculos incompletos, com uma pequena região central que se destaca.

Vincent van Gogh oscilava entre a alegria e a tristeza, a esperança e o desespero, o amor e o ódio. Pintar era o seu refúgio. Utilizando cores fortes para expressar seus sentimentos, criou uma nova forma de fazer arte. Segundo ele: “Pinto o que sinto e não o que vejo”.

As estrelas eram a luz que van Gogh procurava dentro de si. As estrelas eram a sua religião: “Quando sinto uma terrível necessidade de religião, saio à noite para pintar as estrelas.”

 Autor: Catherine Beltrão