Arquivo da tag: Diego Rivera

As Fridas de Luiza

Estamos na semana de Frida Kahlo (1907-1954).  Ícone da pintura mexicana, Frida nasceu em Coyoacán no dia 6 de julho e morreu na mesma cidade em 13 de julho. Luiza Caetano, pintora e escritora, nasceu em Mafra, Portugal, em 1946. A primeira eu não conheci. A segunda, tive esta felicidade em 2001.

FridaeDiego

Frida Kahlo e Diego Rivera, em 1949.

A vida de Frida Kahlo se resume a uma sucessão de tragédias. Quando criança, foi vítima de poliomielite que lhe afetaria a perna direita e aos 18 anos sofreu um grave acidente automobilístico que dilacerou seu corpo e a levou a sofrer mais de 30 cirurgias durante sua vida. Começou a pintar durante a convalescença em sua cama.  Casou-se duas vezes com Diego Rivera (1886-1957), expoente da pintura muralista mexicana. As cirurgias não permitiram Frida exercer a maternidade. Teve três abortos. “A pintura tem ocupado minha vida. Perdi três filhos e uma série de coisas que poderiam ter preenchido a minha vida horrível. A pintura substituiu tudo. Eu acho que não há nada melhor do que trabalhar.” Teve também casos amorosos com homens e mulheres, entre eles o marxista Leon Trotsky. Um ano antes de morrer, sua perna direita foi amputada por gangrena. “Para que pés, se tenho asas para voar?”

Sem dúvida alguma a vida trágica e a força da sua pintura fazem de Frida Kahlo um dos personagens mais emblemáticos da História da Arte. A coragem com a qual ela enfrentou suas dores e seus amores provocam reflexão e admiração. É o que acontece com Luiza Caetano, a excelência na arte naïve e cuja alma apresenta o mesmo DNA de Fernando Pessoa.

Luiza - Frida e Diego

“Diego Rivera e Frida Kahlo”, de Luiza Caetano. 2002, ast. Obra doada pela autora para o Museu ArtenaRede.

Luiza Caetano, que se define “órfã de pais, filhos e maridos“, retratou Frida Kahlo várias vezes. Uma dessas obras, a artista doou para o Museu ArtenaRede, sendo hoje uma das mais importantes do acervo do Museu, contundente até, ultrapassando qualquer estilo ou escola a que possa pertencer.

Tentei achar poemas de Luiza sobre Frida. Não achei. Isto não significa que não existam. Só não consegui achar. Por isso, resolvi aliar algumas das pinturas que Luiza fez de Frida a poemas de Luiza que não se referem a Frida.

Luiza_Frida4

“Seis rosas”, de Luiza Caetano

Luiza_Frida2

“Frida Kahlo com pássaro – meu tributo”, de Luiza Caetano

RASTRO DAS ESTRELAS

Assisto ao dobrar dos dias
dentro de cada madrugada,

Sinto a neve
sulcada em meus cabelos,
sorvo a chuva mágoa dos meus olhos
onde os lírios e a esperança
se rasgam em rugas cansadas
de gestos e de nadas.

Invento o dia que não chega
na pura ressonância
do esquecimento.

Órfã do teu sorriso
feito de promessas e de horizontes,
me deixo inesperadamente
apaixonar pelo rasto luminoso
das estrelas.

Luiza_Frida5

“Feridamente ferida”, de Luiza Caetano

Luiza_Frida1

“Ferida de Amor”, de Luiza Caetano

“PONTES”

Do lado esquerdo da vida
há uma ponte que te segue
Apenas metade de inteira
porque a outra, talvez perdida te pressegue na margem direita

braço estendido no horizonte
dolorido de tanta esperança
ferindo o espaço e a fonte
onde o desejo te espreita        e a sede não te alcança.

As Fridas de Luiza. Feridas e luzes. Frida e Luiza. Kahlo e Caetano. Duas mulheres que são oceanos. Ou universos. Na emoção e na expressão.

 Autor: Catherine Beltrão