Isadora

Como sempre faziam na maior parte dos finais de tarde, Katia e sua avó Edith, recostadas respectivamente no sofá e na poltrona bergère da sala, repetiam seus rituais de leitura: livros de pintura para a avó, livros de balé para a neta.

De repente,  a menina exclamou:

- Olha só, vó, descobri uma bailarina que faz aniversário no mesmo dia que eu: 27 de maio!

- É mesmo? E quem é?, perguntou Edith:

- Isadora Duncan! Você conhece, vó?

Isadora5_1904

Isadora Duncan, em 1904.

- Se conheço? Conheço, sim.  E a avó foi falando tudo que sabia sobre a bailarina.

Falou que Isadora Duncan tinha sido uma pioneira da dança moderna, para muitos a mais importante.  Ela era também revolucionária, amante das artes e um espírito livre e independente. Isadora se inspirava nos gregos e pelos movimentos da natureza, como o vento, plantas e animais.

Isadora3

Isadora Duncan

- E como ela fazia o movimento do vento, vó?

- Isadora gostava de dançar de pés descalços, vestindo apenas uma simples túnica de seda. Quando ela rodava, era mais fácil representar o vento…

Isadora2

Isadora Duncan

Katia também ficou sabendo que Isadora não concordava com as regras e exigências do balé clássico: coreografias rígidas, sapatilhas de ponta, corpetes apertados. Quanto à música, ela gostava de dançar ao som de melodias dos compositores Frédéric Chopin e de Richard Wagner, o que também não era comum na época.

Isadora1

Isadora Duncan

E, antes que a neta falasse alguma coisa, a avó pintora decretou:

- Vou pintar uma bailarina Isadora pra você!

E Edith pintou a “Bailarina com véu lilás” para Katia.

Bailarina7a

“Bailarina com véu lilás”, de Edith Blin. 1957, pastel sobre cartolina, 50 X 38cm

Naquele dia, Katia soube que Isadora foi única e seu legado enorme, pois introduziu a liberdade na dança. Que seu nome é reconhecidamente um dos mais importantes da dança de todos os tempos. E que nunca haverá outra Isadora Duncan.

E, também naquele dia, Katia decidiu que iria deixar um legado. Não sabia ainda qual. Só sabia que este legado seria de Arte.

Autor: Catherine Beltrão

  Este é o 5º post da série “Bailarinas“.  1º post: “A Bailarina Azul”; 2º post: “A Fada Bailarina Lilás“; 3º post: “A Bailarina de Tutu Amarelo”; 4º post: “Odete, Aurora ou Clara?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>