As “liseuses” na pintura

Sempre me fascinaram estas relações artista-modelo e artista-tema. Para que uma grande obra seja criada por um artista, é fundamental e necessária existir essa relação. Resolvi escrever este post sobre o tema “leitura” em obras de grandes mestres da pintura. Em tempo: concentrei minhas pesquisas em pintores europeus e brasileiros.

Dentro deste tema, é bastante interessante constatar que a presença feminina impera nos modelos representados. A grande maioria das obras mostra mulheres entretidas com a leitura. Senão vejamos:

Liseuse - Rembrandt

Rembrandt

Liseuse - Fragonard

Fragonard

Começamos com os séculos XVII e o maior pintor holandês (segundo alguns), Rembrandt (1606 a 1669), representante do estilo barroco. No século XVIII, o pintor escolhido foi o francês Jean Honoré Fragonard (1732 a 1806) representante do estilo rococó. Dois pintores e dois séculos. Duas obras fantásticas que abrem o caminho das “liseuses” para as dezenas, talvez centenas, de obras que viriam com este tema nos próximos duzentos anos.

Liseuse2 - Corot

Corot

Liseuse - Berthe Morisot

Berthe Morisot

Muitos pintores renomados do século seguinte, o XIX, se dedicaram ao tema da leitura com modelos femininos.  Os primeiros a serem apresentados são Jean-Baptiste Corot (1796 a 1875), pintor realista e os impressionistas Berthe Morisot (1841 a 1895) e Gustave Caillebote (1848 a 1894), todos de origem francesa.

Liseuse - Caillebotte

Caillebotte

Liseuse - Monet

Monet

Liseuse - Manet

Manet

E por falar em Impressionismo, este movimento, surgido na pintura francesa no período chamado Belle Époque do século XIX, faria da luz e do movimento o foco principal das pinceladas mais soltas dos artistas, sendo que geralmente as telas eram pintadas ao ar livre para que o pintor pudesse capturar melhor as variações de cores da natureza. Dois grandes impressionistas franceses, Édouard Manet (1832 a 1883)  e Claude Monet (1840 a 1926), pintaram como poucos o tema da “liseuse” .

Liseuse - Renoir

Renoir – “La liseuse”, 1874

Pierre-Auguste Renoir (1841 a 1919), um dois maiores nomes do impressionismo, pintou várias “liseuses“. A minha obra preferida de Renoir e também a minha liseuse preferida, entre todas as apresentadas neste post, é a que o artista pintou em 1874, mostrada ao lado. Abaixo, um painel com algumas das liseuses de Renoir.

Liseuses - Renoir

Painel com algumas “liseuses” de Renoir

Liseuse - Fantin-Latour

Fantin-Latour

Liseuse - Toulouse Lautrec

Toulouse-Lautrec

Ainda no século XIX, podemos apresentar mais três grandes mestres, dedicados ao tema da leitura com modelos femininos: Henri Fantin-Latour (1836 a 1904), pintor romântico francês e dois dos maiores representantes do pós-impressionismo: o francês Henri de Toulouse-Lautrec (1864 a 1901) e o holandês Vincent Van Gogh (1853 a 1890).

Liseuse - Van Gogh

Van Gogh

Liseuse - Fernand Leger

Fernand Léger

Liseuse - Matisse

Matisse

O século XX chegou e o tema das liseuses continuou atraindo os artistas. Nomes como o modernista francês Henri Matisse (1869 a 1954) e os cubistas, Fernand Léger (1881 a 1955), francês e Pablo Picasso (1881 a 1973), nascido na Espanha, pintaram obras-primas com o tema. Abaixo, painel com várias representações de leitoras femininas de Picasso.

Liseuses - Picasso

Painel com algumas “liseuses” de Picasso

 

Liseuse - Salvador Dali

Salvador Dali

Liseuse - Lucien Freud

Lucien Freud

Dois grandes nomes mundiais da pintura do século XX não poderiam ficar de fora desta lista: o surrealista espanhol Salvador Dali (1904 a 1989) e o realista Lucien Freud (1922 a 2011), nascido na Alemanha e  naturalizado inglês.

 

Liseuse - Almeida Junior

Almeida Junior

Liseuse - Botero

Botero

Três pintores brasileiros e um colombiano fazem parte desta minha primeira relação das liseuses na pintura: o acadêmico Almeida Junior (1850 a 1899), os modernistas Anita Malfatti (1889 a 1964)  e Emiliano Di Cavalcanti (1897 a 1976), ambos participantes da Semana Moderna de 22 de São Paulo e o figurativista Fernando Botero (1932), com suas mulheres rotundas.

Liseuse - Di Cavalcanti e Anita Malfatti

Di Cavalcanti e Anita Malfatti

 

Liseuse - Edith Blin

Edith Blin

Vou incluir aqui, sem medo ou pudor algum de estar cometendo algum tipo de erro de conformidade ao padrão das demais obras artísticas apresentadas neste post, uma das liseuses da pintora expressionista francesa Edith Blin (1891-1983), ainda pouco conhecida de muitos leitores.

Nesta relação de liseuses, foram apresentadas 31 obras de 21 artistas. Nada mal para uma primeira abordagem de um tema recorrente…

 Autor: Catherine Beltrão

4 opiniões sobre “As “liseuses” na pintura”

  1. Muito interessante o tema do post, provavelmente fruto de uma extensa pesquisa e contínua observação. E igualmente curiosa é a persistencia de modelos femininos para este tipo de representacao, despertando – em cada exemplo apresentado- variados questionamentos sobre as intencoes de cada obra, sobre o tipo de leitura e/ou envolvimento entre modelo e autor, e entre a obra e seus apreciadores…

  2. Lindos , todos os quadros ! Principalmente os impressionistas . Acho muito legal atentar aos detalhes das pinceladas , parecem dois quadros diferentes quando observados de perto e de longe

  3. Lindas!! Cada uma contando uma história ao ser retratada lendo uma história. A do Van Gogh angustiada; Fantin-Latour recatada, tentando escapar da opressão pelo romance impresso; Di Cavalcanti a fez cansada, mas doce, embalando o livro no regaço; Edith Blin iluminou a face da sua liseuse…

  4. Impossível não responder a estes três comentários, publicados aqui pelo Eduardo, pelo Luiz e pela Kíssila. As vezes, a gente tenta segurar a emoção, mas vemos que é pura bobagem. As palavras deixadas por estes seletíssimos leitores do blog ArtenaRede atingiram fundo meu coração e me motivam a continuar trilhando este caminho de partilhar uma grande paixão: a Arte!
    Um profundo agradecimento a vocês…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>